Reflexões, 2007

No início do ano de 2005 o tempo parou de correr. Com 24 anos dedicados à arquitetura, surge a necessidade de buscar novos desafios e bifurcar o caminho traçado.
O ingresso no trabalho experimental de atelier foi ocasional, ainda bem que sem um planejamento específico. Há coisas que acontecem, e simplesmente não precisam de explicação. Esta foi uma delas. A descoberta de um campo aberto, apareceu como uma página em branco para devorar. Como o ponto de partida para uma longa viagem.
Foi como um deslocamento, um novo olhar. Como se do interior de um nó, de um cruzamento de linhas, descobrisse um espaço.
Os trabalhos foram realizados sem o objetivo de um resultado específico. O exercício, o fazer, para desenvolver as tarefas em uma nova linguagem. A ação pela ação, que se aprofundou pela continuidade do fazer, com a conjugação de aprendizados. Repetição, persistência e continuidade. Referências com as experiências vividas, lidas, vistas. Os trabalhos foram surgindo com estas conexões.
Tela, papel. Papel, tela. Exercícios sem bordas e fronteiras de término, as alternativas se interceptam, os materiais se experimentam, tocam, amassam, rasgam, cortam, dobram, colam, traçam, tingem, sobrepõem, se ligam. Na constância regular do fazer, sem acabamentos - avança o testar. Jogos improvisados, livres de pensamento crítico, da dúvida do tiro certeiro, do compromisso, da apresentação, da análise do exterior. É o provisório que se torna definitivo. O meio que vira fim.
A preferência do preto, o contraste entre o brilho e o fosco. O gestual e a textura são obtidos com sulcos, riscados e com o movimento com massa de tinta e a descoberta que certos elementos atravessam os experimentos.
Destas inúmeras interfaces, surge um perfil. Do contato com o meio externo, a linguagem passa a ser percebida e interpretada. Pelo crivo do outro, percebo que ingressei no novo caminho.
É esta a trajetória que represento. O desdobramento de investigações que vêm se multiplicando, marcadas a cada trabalho, passo a passo.

Karen Axelrud, 2007